Leaderboard Ad

Patrimônio e História

O Município de Inimutaba teve suas origens no século XIX a partir da criação de uma fabrica de tecidos. Em 1874, os irmãos Vitor Mascarenhas, Dr. Francisco de Paula Mascarenhas e Dr. Pacifico Gonçalves da Silva Mascarenhas associaram-se ao cunhado Luiz Augusto Viana Barbosa para lá estabelecerem uma fábrica de tecidos de algodão, de nome “Fábrica do Santo Antônio do Curvelo”, em terras que pertenciam ao Município de Curvelo, mas precisamente na margem direita do Rio Santo Antônio. O local escolhido para sua construção fazia parte da Fazendo da Cachoeira, de propriedade de Luiz Augusto, distante nove quilômetros de Curvelo, possui excelente queda d’agua e localizava-se no centro de uma região produtora de algodão.

A fábrica começou a funcionar em 1877, depois da aquisição de maquinários vindos do exterior. Nesse período, no entorno da fábrica, em área separada pelos proprietários da companhia exatamente com este destino, começou a nascer um povoado que se chamava inicialmente Arraial da Cachoeira, composto por uma capela e pelas casas da vida de operários (onde quase todos os imóveis pertencem à fabrica). O nome “Santo Antônio” não prevaleceu por muito tempo e foi substituído por “Fábrica da Cachoeira”.

Em 1883, a fábrica da Cachoeira fundiu-se com a do Cedro (Caetanópolis), formado a empresa denominada “Companhia de Fiação e Tecelagem Cedro e Cachoeira”, hoje uma das maiores indústrias têxteis do país.

Em 1890, o povoado foi elevado a Distrito de Curvelo (decreto nº 111 de 17 de junho de 1890), com o nome de Ypiranga. Em 1942 ainda como Distrito, o lugar passa a se chamar Inimutaba que em tupi tem o seguinte significado: Ini: rede de fios, rede de dormir + mutaba: ação de fazer, confecção: fabrico de redes. Lugar onde se tecem redes.¹

Inimutaba conseguiu sua emancipação em 31 de março de 1962 através da Lei 2.764 de 30 de dezembro e a instalação do município se deu em 1º de março de 1963. A partir da emancipação, algumas casas da vila de operários, quase todas de propriedade da Fábrica da Cachoeira, foram vendidas para os habitantes da cidade.

Em 07/11/1997, a Fábrica foi fechada, gerando um grande impacto social e econômico no município. Posteriormente em 26/04/1999, a Fábrica de Fiação e Tecelagem Inimutaba alugou uma parte do prédio onde funcionava a antiga tecelagem exerce suas atividades até os dias atuais.

A área onde funcionava a Fábrica forma hoje em conjunto de grande valor cultural para o município. Foi a partir desta atividade que a cidade cresceu e se desenvolveu. Preservar este conjunto á de extrema importância para a identidade da comunidade, permitindo assim a sua continuidade e sobrevivência. Faz parte desse conjunto o bem tombado em nível municipal. Antiga Casa da Administração – “Casa Velha”.

 

Aspectos Naturais:

O Município de Inimutaba possui uma área territorial de 529,134 m2 e sua zona urbana esta dividida em 03 bairros: Nossa Senhora das Graças, Jardim São Geraldo e Conjunto Habitacional Santo Antônio. Já a zona rural é formada pelos seguintes povoados: Landim, Gentil de Matos, Jaboticabas, Araçás, Porteiras, Barra Santo Antônio, Barra do Picão, Córrego do Retiro, Ipiranga e Açudes.

Atualmente o município conta com uma população de 6.086, segundo o senso de 2000. A taxa de alfabetização, segundo o mesmo senso; é de 84,7%. As principais rodovias que servem ao município são a BR-040, BR-135 e os municípios limítrofes são Curvelo e Presidente Juscelino.

Inimutaba pertence à bacia do Rio São Francisco, sendo cortada, ainda, pelos ribeirões Picão, Santo Antônio e Maquiné, todos afluentes do Rio das Velhas. Está distante de Belo Horizonte 185 quilômetros.

A vegetação natural do município é o cerrado e o clima é considerado tropical, com variação de temperatura entre 18° e 30°, com verões quentes e úmidos e invernos secos. O período seco tem duração de 5 a 6 meses, coincidindo com os frios. As chuvas ocorrem entre outubro e março.